Destaques

Vereadores ouvem os moradores do Valongo

Parlamentares estiveram no bairro na noite de terça e receberam pedidos de melhorias

03 de maio de 2023

Afastado cerca de 20 quilômetros do centro administrativo do município, o Sertão do Valongo ressente-se de um histórico isolamento em relação às ações e decisões do poder público local. Uma das 21 comunidades remanescentes de quilombo reconhecidas em Santa Catarina (sua certificação data de 2004), o bairro vem procurando vencer o vácuo de representatividade com o uso da tecnologia. Através de reiteradas mensagens de whatsapp cobrando melhorias para o bairro, os moradores conseguiram sensibilizar os vereadores que, na noite de ontem (2), foram até eles ouvir suas reivindicações.

A articulação no Legislativo partiu da bancada do MDB. Os vereadores Diogo Santos, Egídio Soares e Jonas Raulino encaminharam ao plenário da Câmara, no dia 10 de abril, um requerimento solicitando à presidência da Casa a realização da reunião pública. Segundo Diogo, a ideia era fazer algo diferente de uma sessão itinerante do Legislativo, que no ano passado percorreu alguns bairros, inclusive o vizinho Sertão de Santa Luzia: “A gente estava mais como ouvinte do que como vereadores em uma sessão, falando para as pessoas ouvirem”, destacou o parlamentar.

E, de fato, os representantes do Legislativo ouviram. E muito. A partir da mobilização dos populares, cerca de 40 pessoas compareceram à antiga escola isolada do bairro, hoje desativada, e expuseram suas necessidades e desejos de melhorias. A primeira delas, reveladora da precariedade da infraestrutura local: “Por que todos os bairros têm uma pracinha, menos o Valongo?”, questionou uma moradora. A isso seguiram-se demandas relacionadas ao atendimento de saúde, à conservação das estradas, manutenção do campinho de futebol, inexistência de oficinas culturais e esportivas e transporte público.

Em resposta, os vereadores presentes (além dos três autores do requerimento, participaram o presidente da Câmara, vereador Juliano Guerreiro, do Progressistas, e o também emedebista Magno Muñoz) asseguraram que os pedidos serão encaminhados em plenário através de requerimentos e indicações para aprovação já na sessão desta quinta-feira (4). Além disso, comprometeram-se a levar as demandas diretamente aos secretários municipais de Saúde, Jainara Nordio, e Obras, Fernando Raulino, bem como aos presidentes da Fundação Municipal de Esportes (FME), Ednaldo da Silva, e da Cultura, Cristiani de Jesus.

“A gente viu que o município está com muitas deficiências no atendimento àquele bairro”, ponderou Magno, que destacou os problemas de infraestrutura, como limpeza de cachoeiras e prevenção de alagamentos. Ele acredita ser necessário dar encaminhamento urgente a essas questões.

Juliano Guerreiro concorda. O presidente da Câmara considerou a conversa positiva, reconheceu a importância da mobilização dos moradores e garantiu empenho do Legislativo: “Era o mínimo que a gente tinha a fazer, ir lá e dar uma satisfação para a comunidade. A gente sabe que não vai conseguir resolver de uma vez todos os pontos levantados, mas cada item que a gente conseguir resolver vai ser uma conquista para a comunidade”, afirmou.

Os moradores pediram ainda um segundo encontro, desta vez com a participação do prefeito Joel Lucinda (MDB), para daqui a uns 30 dias. Os vereadores farão o convite também mediante requerimento, a ser aprovado no plenário da Câmara.

COMPARTILHE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Câmara aprova projeto de lei para instituir programa “Amigo do Coração”

VER MAIS

Resumo da Sessão

VER MAIS

Resumo da Sessão

VER MAIS