Destaques

Precisamos conversar sobre o Setembro Amarelo

Campanha de valorização da vida e prevenção ao suicídio ganhou espaço na tribuna da Câmara

ALCIDES MAFRA/ASSESSORIA CÂMARA PB

10 de setembro de 2021

Desde 2015, setembro é um mês pintado de amarelo. Essa é uma forma de chamar a atenção para um drama silencioso e de consequências devastadoras: o suicídio. Pelo menos 13 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos no país, um ato sempre acompanhado de dor e perplexidade: “Como ninguém percebeu?”. Por isso, e em decorrência do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10/9), a cada ano temos o Setembro Amarelo, campanha organizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e pelo Conselho Federal de Medicina. Em Porto Belo, o assunto ganhou a tribuna na sessão da Câmara Municipal da última quinta-feira (2).

O primeiro a falar sobre isso foi Magno Muñoz. O emedebista lembrou que, por iniciativa de Jonatha Cabral (Republicanos), o Setembro Amarelo também integra o calendário de eventos do município (através da Lei 2.837, sancionada em 2019 e que tem os ex-vereadores Marcos Marques e Rosaura Rodrigues como coautores).

Magno evocou ainda o período em que foi secretário municipal de Assistência Social, na gestão 2017-2020, ocasião em que, segundo ele, vivenciou o problema de perto: “Agora, com a pandemia, isso piorou. Aumentaram muito os casos de suicídio no país, e em Santa Catarina não é diferente”, afirmou — embora estudos indiquem que o número de suicídios nos primeiros doze meses da pandemia tenha se mantido estável. A expectativa em contrário tem relação com a ideia de que medidas de lockdown pudessem agravar quadros depressivos, um dos principais fatores de risco (quase 97% dos casos de suicídio envolve transtornos mentais).

Magno ressaltou a importância de se falar sobre o tema — geralmente tratado como tabu. “É preciso conversar”. O parlamentar lembrou, por fim, do Centro de Valorização da Vida (CVV), serviço gratuito cujo número 188 auxilia pessoas a superarem o impulso de se matar.

Procuradora especial da Mulher da Câmara de Vereadores, Silvana Stadler (PL) seguiu o fio. Ela informou que a Procuradoria alinhou com a Secretaria Municipal de Saúde a realização de uma roda de conversa no próximo dia 22, às 19 horas, na Câmara Municipal, para discutir os fatores que levam ao suicídio, e como prevenir: “A gente sabe que o índice é muito alto. Psicologicamente, o povo está muito abalado”, ecoou Silvana a fala do colega.

DIA MUNICIPAL

A mesma lei que instituiu o Setembro Amarelo em Porto Belo fixou o 10 de setembro como Dia Municipal de Prevenção ao Suicídio. Um dos autores do projeto na Câmara, Jonatha Cabral concebeu a proposta como resultado de sua experiência, enquanto técnico de enfermagem, na ala psiquiátrica do hospital Chiquinha Gallotti, em Tijucas, entre 2004 e 2005, ocasião em que conviveu com portadores de transtornos diversos, sem falar menores infratores de todo o Estado: “Foi a coisa mais extraordinária que eu já vivi”, diz.

Além de tê-lo deixado sensível à causa da saúde mental, conforme afirma, os tempos de Chiquinha Gallotti habilitaram Jonatha a identificar uma realidade que, garante, está muito próxima e presente: “Na minha família mesmo tem pessoas em tratamento de saúde”. Para ele, o caminho rumo a um desfecho trágico não é imperceptível: “[A depressão] dá sinais, mas as pessoas têm que perceber esses sinais”.

AGIR SALVA VIDAS

Com o mote “agir salva vidas”, a campanha Setembro Amarelo de 2021 estabelece como principais fatores de risco a existência de transtorno mental (inclusive, relacionados ao uso de álcool e drogas) e o fato de haver tentativa prévia de suicídio. Demonstrar desespero e pessimismo em relação à própria vida, adotar rotinas de despedida, estar sujeito a situações de grande estresse e ter acesso a meios de concretizar o suicídio também são importantes sinais de alerta.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) identifica no impulso suicida a segunda causa de morte entre jovens (perde somente para acidentes de carro). Como forma de ajudar, a conversa tem papel decisivo. Estar disponível e aberto a ouvir, sem julgar, pode ser decisivo. Contar com auxílio especializado também é fundamental: o CVV disponibiliza canais gratuitos e promove apoio emocional de prevenção ao suicídio 24 horas. Seu telefone é o 188. Além disso, no site do Setembro Amarelo é possível obter mais informações sobre a campanha.

SERVIÇO

  • Roda de Conversa Setembro Amarelo
  • Quando: 22/09 (4ª), a partir das 19h
  • Transmissão ao vivo pelos canais da Câmara Municipal (Facebook e Youtube)
COMPARTILHE

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Resumo da Sessão

VER MAIS

Legislativo institui o “Dia da Mulher na Política”

VER MAIS

Vereadores e vereadoras mirins de PB participam de conferência regional em Itajaí

VER MAIS